Um total de 3.510 residências visitadas, 3.711 fechadas, 65 focos encontrados, 126 terrenos baldios trabalhados e 98 pneus e 155 sacos de lixo recolhidos. Esse foi o saldo do quarto mutirão do ano de combate e prevenção à dengue, zika e da chikungunya, realizado pelo Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) nesta quarta-feira (7), nos bairros Corrientes, Nova Brasília, Esplanada, São Salvador e Pecuária. A ação foi antecipada em dois dias, devido ao ponto facultativo na tarde desta sexta-feira (9). O terceiro mutirão foi na última sexta (2), nos bairros Presidente Juscelino, Leopoldina, São Caetano e Santo Amaro.

A ação desta quarta começou pouco depois das 8h e se estendeu até por volta das 14h. Nas residências em que foram atendidos, os guardas e endemias percorreram os quintais atrás de criadouros do mosquito transmissor, bem como no interior das casas. Também passaram orientações de como evitar a proliferação do inseto, dedicando dez minutos por semana no combate a possíveis focos.

— Faço o máximo possível para colaborar, mas é importante que todos colaborem, pois se uma pessoa mantém o quintal livre de focos, mas o vizinho não faz o mesmo, de nada adianta — afirmou a universitária Mariana Sales, 22 anos. “A gente procura colaborar, pois um simples mosquito pode causar um estrago enorme”, completou o aposentado João Paulo Ribeiro, 75.

Farol – Nesta quinta-feira (8), uma equipe do CCZ com uma caminhonete, realiza uma ação em Farol de São Thomé. Desta vez os alvos são os mosquitos Culex, Taeniorhynchus e Mansonia, que frequentam mais as áreas de brejos e encharcadas e causam incômodo a pessoas que moram perto desses locais.

Fonte: SupCom

COMENTE COM SEU FACEBOOK