Campos é a segunda melhor cidade do estado do Rio de Janeiro e a 26ª do Brasil para envelhecer com saúde, de acordo com uma pesquisa feita pelo Instituto de Longevidade Mongeral Aegon/FGV. O dado mostra que o município prioriza as atividades que estão envolvidas no projeto da Rede de Proteção Social. Para a superintendente do Envelhecimento Saudável e Ativo (SESA), Heloísa Landim, este índice é o resultado do governo do prefeito Rafael Diniz que dá valor às diversas variáveis, inclusive, fomento à cultura do bem-estar da população idosa.

Na mesma semana em que Campos recebeu o resultado da pesquisa, a Casa de Convivência do Parque Tamandaré promoveu uma ação com foco nos alimentos funcionais, oferecendo atendimento preventivo de maior qualidade e demonstração de compromisso com a saúde dos idosos. Heloísa Landim explica que o Índice de Desenvolvimento Urbano para Longevidade (IDL) é uma proposta de mudança de visão e de atitude, implicando em políticas e práticas na promoção do envelhecimento ativo.

— Na gestão do prefeito Rafael Diniz, o envelhecimento é um assunto prioritário. Tornou-se uma questão emblemática de um jovem prefeito que inclusive aposta na Rede de Proteção Social como uma ferramenta de desenvolvimento humano e inclusão — afirmou Heloísa destacando que o resultado da pesquisa é um esforço coletivo da equipe da SESA e de parcerias internas e externas.

A Rede de Proteção Social engloba projetos em cultura, esporte, arte e lazer. Dança de salão, aerodance, hidroginástica, teatro, artesanato, orquestra de cordas curso de inglês e informática são algumas das atividades propostas.

Em julho desse ano, a Superintendência de Envelhecimento Saudável e Ativo foi convidada a representar Campos no workshop “Longevidade nos municípios: Desafios para as Políticas Públicas”, que marca o lançamento do Projeto Gestão Pública para Longevidade. Landim apresentou os desafios e realizações implantadas nesta gestão.

— Nosso município implantou a Rede de Proteção Social ao Envelhecimento Saudável e Ativo, um programa que vem dando bons resultados. Fazemos parte de um governo que tem esse olhar para o empoderamento do idoso. Fizemos a reabertura de Casas de Convivência, antes fechadas; aumentamos significativamente o número de atendimentos e temos diversidade de programação oferecida aos idosos — comentou a superintendente.

Casa de Convivência do Tamandaré – A Casa do Tamandaré é uma referência no manejo da saúde do idoso com diversas especialidades e, mais do que isso, com profissionais atentos às necessidades dos idosos, uma equipe multidisciplinar que tem esse olhar para o processo do envelhecimento humano. “Não tratamos doença, somente, mas realizamos um trabalho preventivo que diminui filas, melhora atendimento e atinge nosso objetivo da gestão do prefeito que é a qualidade de vida da pessoa que está envelhecendo”, finalizou a superintendente.

Fonte: SupCom

COMENTE COM SEU FACEBOOK