O Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) continua com os mutirões nos bairros do município com objetivo de diminuir a incidência do mosquito Aedes aegypti e a progressão de casos de chikungunya e dengue. Atualmente, o município tem registrados 4.912 casos de chikungunya, 124 de dengue e nenhum de zika.

Neste mês de setembro, os agentes cumprem cronograma no Jóquei até esta quinta-feira (13) e em Ponta da Lama até sexta-feira (14). Dos dias 17 a 28, os agentes estarão visitando as residências na Tapera, e outras equipes estarão até o dia 19 em Goitacazes. Para fechar o cronograma do mês, do dia 20 ao dia 5 de outubro estarão em Donana.

— Continuamos com as ações em domicílio e orientação à população quanto à necessidade e importância de continuar separando 10 minutos por semana para revisar os quintais, os vasos de plantas, lavar os recipientes de água dos animais e descartar o lixo de forma correta. O combate ao aedes aegypti continua sendo uma luta de todos nós — ressaltou o diretor do CCZ, Marcelo Sales.
Desde o anúncio da epidemia no município, a Vigilância em Saúde acionou os representantes do Comitê de Arboviroses para traçar estratégias urgentes de combate ao mosquito. Foram realizados mutirões integrados, limpeza de terrenos baldios, aumento do número de testes laboratoriais na rede para atender mais rapidamente a população e a descentralização no atendimento primário aos pacientes também nas unidades básicas de saúde e hospitais. O Centro de Referência de Doenças Infecciosas (CRDI) também funcionou aos sábados para atender a grande demanda.

— Eu cuido bem do meu quintal, não deixando acumular água. Mas é sempre bom receber o pessoal do CCZ, porque eles têm mais experiência — afirmou a dona de casa Anna Hellen Bila, de 60 anos. “Esse trabalho do CCZ é essencial, porque nem todas as pessoas tomam os devidos cuidados. É melhor prevenir do que remediar”, completou a manicure Juliana Batista Moraes, de 29.

Fonte: SupCom

COMENTE COM SEU FACEBOOK