Já passado o tempo em que a última prioridade era a relação custo x benefício nas ações, onde os eventos populares principalmente de fomento a cultura eram confundidos com os sociais com caros buffets, o governo Rafael Diniz abre um novo tempo através da Fundação Cultural Jornalista Oswaldo Lima e consegue realizar de 20 a 25 desse mês a 10ª Bienal do Livro no IFF com apoio do SESC por um custo bem abaixo das outras edições. Para se ter uma ideia, a edição passada no CEPOP custou R$ 3.000.000,00 com uma estrutura digna de uma gestão que não sabia bem o que eram prioridades.

Agora com essa página virada, novas cabeças trazem soluções para velhos problemas e o governo realiza pela primeira vez uma edição através de PPP (parceria público-privada). Assim a Bienal custará menos da metade da metade do valor e descentralizará o custo do município quebrando muros e construindo pontes, buscando alternativas inovadoras como também fez no restaurante popular que passará a ser gratuito e hospital da baixada, que será entregue graças a recursos vindos de Brasília.

Vice-presidente da FCJOL, Viny Soares, comemora o novo tempo. “De fato não é fácil construir, mas difícil mesmo é reconstruir. Além de todo o coas financeiro, etico e moral em que deixaram o município, estamos reconstruindo os laços dos campistas com a sua terra, com a sua cultura e assim ganhando de volta também a confiança de parceiros como o SESC, o IFF e todos os outros patrocinadores. A prova de que as diretrizes do Prefeito Rafael Diniz, que desde a sua campanha dizia que era possível fazer mais, com mesmo e com grandes parceiros, se concretiza também na 10 bienal”, comemorou.

Por: Redação

COMENTE COM SEU FACEBOOK