Em mais um episódio de acusações contra o judiciário de Campos, a ex-prefeita Rosinha Garotinho demonstrou uma das principais características que o seu marido Anthony Garotinho também possui: a certeza da impunidade e vitimização. Após ficar chateada e esbravejar contra o juiz Ralph Manhães, por ter impedido uma reunião política de campanha – o que é vedado pela Justiça -, Rosinha convocou os poucos apoiadores políticos que o grupo ainda tem e saiu em caminhada pelas ruas do Centro na noite desta segunda-feira (9). Ao final do trajeto, já em sua ‘casinha da Lapa’, Rosinha ainda disparou para os presentes: Eu pedi a ele (Garotinho) pra não falar, mas pra mim… Eu não sou candidata a nada, se me prender o advogado vai me soltar… Então…”, disse Rosinha em alto e bom som.

Presa – Rosinha ficou presa por oito dias em novembro do ano passado. Parte do tempo ficou detida no Presídio Feminino de Campos e outra parte na Cadeia Pública de Benfica, onde dividiu a mesma cela com a também ex-primeira dama do Rio, Adriana Ancelmo, esposa do ex-governador Sérgio Cabral.

Logo que saiu da prisão, Rosinha precisou usar tornozeleira eletrônica, o que posteriormente foi liberado pela Justiça. Rosinha havia sido presa por crimes eleitorais, corrupção e organização criminosa no caso em que a J&F fez uma doação ilegal de R$ 3 milhões, simulando um contrato com uma empresa indicada por Garotinho para financiar sua campanha ao governo do estado em 2014. Para a Justiça, Rosinha consentiu os crimes praticados por Garotinho.

Por: Redação

COMENTE COM SEU FACEBOOK